BLOCO C25 PARA ALVENARIA DE VEDAÇÃO
 
PROJETANDO COM BLOCO DE CONCRETO CELULAR AUTOCLAVADO
 
A função de uma alvenaria de vedação é a de compartimentar a edificação, evitando a passagem de gases, água, e isolando ruídos e diferenças de temperatura. Devendo propiciar um bom conforto ambiental. As paredes que funcionam como vedação não são projetadas para receberem cargas no seu plano vertical, todavia devem suportar pequenas deformações impostas pela estrutura. As dimensões padronizadas dos blocos SICAL são: comprimento 60cm, altura 30cm e espessura a partir de 10cm com acréscimos de 2,5cm, até no máximo 30cm.
 
PROPRIEDADES FÍSICAS DO CONCRETO CELULAR AUTOCLAVADO - CLASSE C25
ÍTEM
UNIDADE
VALOR
REFERÊNCIA
Densidade Nominal Aparente
Kg/m³
500
-
Densidade Aparente Seca
Kg/m³
430-450
NBR 13440
Resistência à compressão
MPa
2,5
NBR 13439
Módulo de deformação
MPa
1300-1400
HEBEL
Condutividade térmica
W/(m.K)
0,13
IPT-2001 881009
Coef. Dilatação térmica linear
m/°C
3,2-3,8x10-6
IPT-91 789512
Taxa inicial
de sucção
Estado natural
Kg/m²/min
2,17
RILEM
Estado seco
2,85
Absorção por imersão (24h)
% em volume
34,7
SICAL
Ponto de fusão
°C
1100-1200
SICAL
Índice isolamento sonoro - parede simples com bloco de 125mm com revestimento de 25mm externo e 10mm interno
dB
41
IPT-95 828144
Índice isolamento sonoro - parede dupla com bloco CCA-BA 100mm separada por 5cm camada de ar
dB
55
ISO/ R 717
HEBEL
Resistência ao fogo - parede com bloco 150mm revestida nas duas faces
min
360
(CF-360)
IPT-92 799.427
Retração à secagem Estado natural (14%)
mm/m
0,08
RILEM LC 4-1
Estado saturado (30%)
mm/m
0,46
DIN 4223
 
SEGUIR AS INSTRUÇÕES ABAIXO, PERMITE EXECUTAR ALVENARIAS COM QUALIDADE

Descarga e Armazenamento
Os blocos de Concreto Celular Autoclavado devem ser descarregados e armazenados bem empilhados (na vertical) em local coberto, seco e ventilado.
Importante: Os blocos NÃO devem ser aplicados quando estiverem com umidade superior a 15% em volume, ou seja, densidade aparente de massa superior a 580 Kg/m³.

Argamassa de Assentamento
Para melhor acomodar as movimentações, utilize argamassa com as seguintes características:
• Trabalhabilidade e coesão que possibilite o espalhamento para o assentamento de, no mínimo, três blocos (1,80m), permitindo que os mesmos sejam corretamente aprumados, nivelados e alinhados.
• Módulo de deformação máximo de 10.000Kg/cm², determinado a partir de ensaio específico.
• Aderência bloco-argamassa, na flexão, média mínima igual a 2Kg/cm² aos 14 dias de idade.

Na ausência de um traço específico, recomenda-se empregar argamassa convencional mista, 1:3:7,5 (cimento, cal hidratada CH1 e areia lavada média), em volume com espessura de 10 a 15mm. Deve-se dar preferência ao uso de argamassas industrializadas (ensacadas) desenvolvidas especialmente para o emprego em blocos de Concreto Celular Autoclavado.

Preparo da argamassa convencional: preparar pasta básica com 3 partes de cal, 7,5 partes de areia lavada média e água até obter-se uma boa consistência. Deixar curtir esta mistura por pelo menos 24 horas. Para assentar o material, misturar 1 parte de cimento para 7,5 partes desta pasta.

Elevação da Alvenaria
Para iniciar a marcação do pavimento, deve-se observar:
• Concretagem do pavimento executada a pelo menos 45 dias;
• Retirada total do escoramento do pavimento a pelo menos 15 dias;
• Completa retirada do escoramento da laje do pavimento superior;
• O nivelamento do pavimento.

A primeira fiada deverá ser assentada, com a mesma argamassa, utilizando-se duas linhas (topo e base), para garantir o perfeito alinhamento e prumo.

Para iniciar o levante da alvenaria, deve-se observar:
• Estarem concretadas pelo menos 4 lajes acima do pavimento;
• Estarem totalmente desformadas 2 lajes acima do pavimento;
• Deverão ser assentadas no máximo 8 fiadas (2,40m) por dia, sendo, de preferência 4 em cada período de trabalho do dia.

Encunhamento
O enchimento do vão de 3cm entre a alvenaria e viga ou laje, deverá ser feito de cima para baixo, se possível após a conclusão de toda a alvenaria da edificação. Caso isto não seja possível, executar o encunhamento em lotes de 4 pavimentos, iniciando do mais alto para o mais baixo.

O último dos quatro pavimentos de alvenaria deverá ter sido executado há pelo menos 30 dias. Estarem executadas as alvenarias dos três pavimentos acima do pavimento mais alto do lote de quatro.

Para a fixação do último lote, a elevação da alvenaria do último pavimento deverá ter sido executada há pelo menos 30 dias; e estar pronto o telhado (se houver) ou o isolamento da laje de cobertura.

Para este enchimento empregar argamassa com as seguintes características:
• Módulo de deformação máximo de 800MPa e aderência bloco-argamassa, na flexão, média mínima igual a 0,3MPa aos 14 dias de idade.

Argamassa de Revestimento
Revestimento interno: As paredes internas geralmente não necessitam de chapisco para receberem massa única (tipo paulista). Recomenda-se o traço 1:2:9 (cimento, cal hidratada CH1 e areia lavada média), em volume. Para este traço, e sem o uso de aditivos retentores de água, recomenda-se umedecer levemente a parede antes da aplicação do emboço. A espessura usualmente empregada é de 5 a 10mm.

Revestimento externo: O revestimento externo é aplicado sobre superfície previamente chapiscada. O recomendado é 1:1:6 (cimento, cal hidratada CH1 e areia lavada média), em volume. A espessura recomendada varia entre 25 a 35mm, aplicada de uma única vez.

OBS: Estes traços são apenas referências. As argamassas deverão ser dosadas considerando-se o desempenho esperado e as características dos materiais locais.

 
RECOMENDAÇÕES PRÁTICAS
1-Espessuras
Deve-se observar o mínimo de 12,5cm para as paredes externas, sendo 15cm a espessura indicada.
2-Juntas de Assentamento
As juntas horizontais de assentamento devem ter de 10 a 15mm de espessura. Valores acima ou abaixo desses limites resultam em características inadequadas da alvenaria.

RECOMENDÁVEL
ACEITÁVEL
 

3-Juntas de Trabalho
Têm por função limitar as dimensões do painel de alvenaria, a fim de que não ocorram elevadas concentrações de tensões em função das deformações intrínsecas ao mesmo, da estrutura e das fundações. Deverão ser previstas sempre que o comprimento do painel exceder 6,0m devendo ter espessura de 10 a 12mm.

 
4- Vinculação das Alvenarias aos Pilares
Comumente denominado "ferro cabelo", deve ser executado com fio de aço liso, na forma de "U", de diâmetro 4,2 ou 5,0mm, fixado ao pilar através de adesivo tipo epóxi (Compound ou Sikadur), posicionado nas juntas ímpares a partir da 3ª (sendo a primeira da marcação). Pode-se também utilizar tela soldada industrializada, tipo Ancofix ou similar, fixada à estrutura através de finca pinos.
 

5- União entre Paredes
A união entre paredes requer atenção especial principalmente durante a marcação. As paredes deverão ser unidas por juntas de amarração (vide desenho).

 

5- União entre Paredes
A união entre paredes requer atenção especial principalmente durante a marcação. As paredes deverão ser unidas por juntas de amarração (vide desenho).

 
V E R G A
Vão
L (cm)
Traspasse mínimo
A (cm)
Comprimento máximo da parede (m)
50 a 100
20
< 8,0
100 a 180
20
< 8,0
30
8,0 - 12,0
180 a 320
30
> 12,0
 
C O N T R A - V E R G A
Vão
L (cm)
Traspasse mínimo
B (cm)
Comprimento máximo da parede (m)
50 a 180
30
< 8,0
40
8,0 - 12,0
180 a 320
40
< 8,0
60
8,0 - 12,0
> 320
60
< 8,0
80
8,0 - 12,0
 

OBS.:
• Para vãos superiores a 320cm e comprimento de parede superior a 12m, a verga deve ser dimensionada como viga.
• Os comprimentos de paredes superiores a 12m deverão ser analisados isoladamente.
• Para vãos sucessivos com distâncias inferiores a 60cm deve-se adotar verga e/ou contra-verga contínuas.

 

7- Embutimento de Instalações
Para o embutimento de instalações cujos diâmetros sejam pequenos (menor que 1/3 da espessura dos blocos), o corte da alvenaria poderá ser realizado com rasgador manual, elétrico ou com serra com disco para corte de materiais pétreos. Os rasgos devem ser preenchidos com argamassa forte (1:3 ou 1:4) de cimento e areia. As tubulações devem ser fixadas previamente com grampos de arame galvanizado.

 

No caso de tubulações de grande diâmetro e não se adotando o uso de "shafts", a alvenaria deve ser interrompida, tratando-se esta região como uma junta amplamente solicitada. O arremate dessas regiões deve ser executado através de envelopamento das tubulações de prumada com tela tipo "deployée" ou de arame galvanizado e/ou preenchimento do vão com cacos de bloco e argamassa. No revestimento deverá ser inserida uma tela metálica galvanizada, tipo pinteiro, malha ½", fio 24, trespassando 20cm para cada lado da abertura.

 
BLOCO C25 PARA ALVENARIA DE VEDAÇÃO